Inflação vai a 0,87% em agosto e registra a maior taxa para o período desde 2000

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi de 0,87% no mês de agosto deste ano, o que representa a maior variação para o mês desde 2000. No mesmo período de 2020, a taxa havia ficado em 0,24%. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira, 9. Com o novo aumento, a inflação acumula alta de 5,67% no ano, enquanto o acumulado em 12 meses é de 9,68%. A taxa de agosto foi influenciada pelo aumento nos preços dos combustíveis, em especial da gasolina, que teve o maior impacto individual (0,17 ponto percentual), com alta de 2,80%. Etanol, gás veicular e óleo diesel registram alta de 4,50%, 2,06% e 1,79%, respectivamente. Após os Transportes, a segunda maior contribuição para o aumento da inflação veio do segmento de Alimentação e bebidas (1,39%), com destaque para altas de produtos como batata-inglesa (19,91%), café moído (7,51%), frango em pedaços (4,47%), frutas (3,90%) e carnes (0,63%). Na Habitação, o aumento de 0,68% foi influenciado pela alta da energia elétrica, que desacelerou em relação ao mês de julho, e houve aumento nos preços do gás encanado (2,70%) e do gás de botijão (2,40%).