Justiça determina que prefeitura de Manaus divulgue lista de vacinados diariamente

A Justiça Federal determinou que a prefeitura de Manaus divulgue todos os dias, até as 22 horas, a lista completa de vacinados contra o novo coronavírus até as 19 horas do mesmo dia, contendo nome, CPF, local onde a imunização foi feita, função exercida pela pessoa e local onde a exerce. A relação com os dados de quem recebeu o imunizante deve ser publicada no site oficial da prefeitura sob pena de multa de R$ 100 mil por dia. Em despacho, a juíza Jaiza Maria Pinto Fraxe, da 1ª Vara Federal no Amazonas, afirma que além da pandemia de Covid-19 e da falta de oxigênio nos hospitais, o estado enfrenta “outra crise tão grave quanto, decorrente de fortíssimos indícios de desvio da vacina que o governo federal enviou ao Amazonas”.

A decisão ocorre após denúncias de possíveis fraudes na vacinação. Nesta semana, duas filhas de um empresário da elite de Manaus, as gêmeas Gabrielle Kirk Lins e Isabelle Kirk Lins, e o filho de um deputado estadual, David Dallas, publicaram vídeos nas redes sociais recebendo uma dose da CoronaVac, sendo que nenhum deles atuou na linha de frente no combate à Covid-19. No documento, a juíza afirma que “em nenhum outro município do país se teve notícia de tamanha aberração”. “É inadmissível que o Ministério da Saúde tenha enviado todas as vacinas com as quais se comprometeu na presente fase e gestões inadequadas na cidade ou no estado tenham produzido revolta, insegurança e desvios”, completa Jaiza Maria Pinto Fraxe. Após as denúncias, o Ministério Público Federal afirmou que vai investigar os casos. A ação foi movida pelo Ministério Público Federal (MPF), do Trabalho (MPT), do Estado do Amazonas (MPE), o Tribunal de Contas (MPC) em conjunto com as Defensorias Públicas do Estado do Amazonas (DPE-AM) e da União (DPU).

Neste sábado, o governador do estado, Wilson Lima, anunciou novas restrições de circulação de pessoas. Além da limitação do funcionamento de serviços, apenas uma pessoa de cada família deve sair para fazer as compras necessárias. Segundo Lima, as forças de segurança do estado vão fiscalizar o cumprimento do decreto. As medidas valem a partir desta segunda-feira e têm duração de dez dias. O Estado do Amazonas tem, até o momento, mais de 248 mil casos e 7.051 mortes.