Como a tecnologia interfere na forma em que voamos de avião?

Quem nunca quis voar? Com o passar do tempo a humanidade foi evoluindo e hoje em dia somos capazes de fazê-lo.

Segundo Fernando Siqueira Carvalho, esse sonho só começou a tomar forma em 1903, quando o primeiro voo motorizado ocorreu com sucesso. Anos mais tarde foi criado o motor a jato, possibilitando-nos fazer viagens transatlânticas. Quando os turboélices foram desenvolvidos a formação de aviões ficou mais eficiente.

Hoje em dia é possível chegar de um país a outro em poucas horas e o mais incrível – e até assustador- é que as máquinas estão cada vez mais tecnológicas, a tecnologia no painel dos pilotos é algo capaz de assustar qualquer leigo no assunto. E melhor, com esse avanço, hoje as máquinas podem até se pilotarem sozinhas.

Fernando diz que esse avanço tem de crescer cada vez mais, já que a cada dia temos alguma atualização.

Há pesquisas que indicam que chegará o dia em que o combustível será tocado por baterias, onde tudo que deverá ser feito durante a manutenção é tirá-las e colocar outras carregadas.

Para Fernando Siqueira Carvalho isso é muito possível visto que se observarmos todo o percurso de evolução das aeronaves até os dias atuais, avanços que um dia o ser humano nem sequer sonhou em produzir. Será revolucionário para o mundo da tecnologia e da aviação.

Fernando ressalta que a empresa “Zunum” está fabricando um avião híbrido-elétrico de 12 passageiros, enquanto a empresa “Eviation” está projetando a versão 100% elétrica de nove passageiros anteriormente mencionada.

Há também empresas que estão pensando na evolução que, no momento, a tecnologia não permite, mas teremos acesso em 2050.