Agronegócio impulsiona venda de aviões da Embraer

A Embraer anunciou que a sua divisão de aviação agrícola encerrou o mês de janeiro com a venda de oito aviões EMB-203 Ipanema, numa comercialização que equivale a um terço do total negociado durante todo o ano de 2020. O resultado foi impulsionado pelo boom desempenho do agronegócio brasileiro. Outros fatores que alavancaram as vendas foram as inovações tecnológicas incorporadas na nova versão da aeronave e o baixo custo operacional. De acordo com a Embraer, o Ipanema é líder no segmento agrícola com 60% de participação no mercado nacional, com quase 1,5 mil unidades entregues.

A companhia não detalhou valores envolvidos no balanço do primeiro mês do ano. O modelo tem uma durabilidade maior que posterga eventuais desgastes gerados pela condição severa da operação no campo e despesas com manutenção ao longo dos anos. Um novo pulverizador aéreo foi implementado no avião. A aposta é que ganhe market share pela flexibilização de voos em regiões com terrenos irregulares. Em julho de 1970 o Ipanema fez seu primeiro voo e em 1972 começou a ser produzido comercialmente. A versão atual é movida a energia renovável (etanol) e foi certificada em 2015.

*Com informações do repórter Daniel Lian