A marretadas, padre tira pedras sob viaduto em SP; funcionário responsável por obra é exonerado

O padre Julio Lancellotti, da Arquidiocese de São Paulo, publicou nesta terça-feira, 2, imagens dele mesmo usando marretas para tentar tirar pedras colocadas pela prefeitura da capital sob o viaduto Dom Luciano Mendes de Almeida, na avenida Salim Farah Maluf, bairro do Tatuapé, Zona Leste da cidade. “Indgnação diante da opressão. Marretada nas pedras da injustiça”, publicou o padre nas redes. Em outros momentos, ele classificou a ação como “inacreditável” e pontuou: “um mundo assim cansa”. As pedras no local que serve de abrigo para moradores de rua da região foram instaladas na última quinta-feira, 28, pela prefeitura de São Paulo e causaram revolta nas redes sociais.

Diante da repercussão negativa da obra, a Secretaria Municipal das Subprefeituras afirmou que o ocorrido foi uma “decisão isolada” que não faz parte da política da gestão municipal. A pasta informou que abriu sindicância para apurar os fatos e o valor da obra e garantiu que o funcionário responsável pelo ocorrido foi exonerado. A prefeitura de São Paulo também frisou que as obras de retirada das pedras foram iniciadas antes do Padre Lancellotti ir até o local. “Os viadutos Antônio de Paiva Monteiro e Dom Luciano Mendes de Almeida tem o monitoramento diário do SEAS Mooca, que intensifica a ação quando há pessoas em situação de vulnerabilidade no local com atendimentos de orientação à saúde, documentação, obtenção de benefícios dos programas de transferência de renda e encaminhamento para Centros de Acolhida”, afirmou trecho da nota.