Ministro das Minas e Energia vai nesta quinta ao Amapá; concessionária pede ‘paciência’ com apagão

O ministro de Minas e Energia volta nesta quinta-feira, 19, ao Amapá, após segundo apagão em 15 dias. É a quinta vez que Bento Albuquerque vai à região. Fazem parte da comitiva, representantes do Operador Nacional do Sistema Elétrico, da Agência Nacional de Energia Elétrica e da Empresa de Pesquisa Energética. A Eletronorte espera que a energia seja normalizada no sábado, com o uso de geradores termelétricos. A medida deve garantir a normalização do abastecimento até que os transformadores da principal subestação do Estado voltem a funcionar. Depois, estes geradores vão ficar na retaguarda para evitar novos blecautes.

O Operador Nacional do Sistema Elétrico informou que o segundo apagão pode ter ocorrido no momento em que uma linha de transmissão foi energizada. A Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) aguarda a ativação dos equipamentos para distribuir a energia. A CEA adiantou que o rodízio no fornecimento de eletricidade será suspenso, mas ainda vão ocorrer interrupções em horários de pico. O diretor-presidente da companhia, Marcos Pereira, pediu paciência para a população. O Ministério Público Federal do Amapá cobra do Operador Nacional do Sistema Elétrico e da Companhia de Eletricidade do Estado explicações, em 48 horas, sobre o último apagão.

Em 5 de novembro, o MPF abriu inquérito civil para apurar a situação no Amapá e defende que a responsabilização dos envolvidos deva ocorrer após minucioso trabalho de investigação.+ Está na pauta do plenário do Senado Federal desta quinta-feira um projeto de lei de Lucas Barreto, do PSD, do Amapá, que busca compensar os consumidores pelo apagão. Ele explica que o PL também obriga as geradoras a assegurar aos Estados produtores o uso da energia obtida a partir das hidrelétricas situadas em seus territórios. A capital, Macapá, é a cidade mais atingida e também enfrenta uma onda de protestos da população. Por causa da instabilidade no fornecimento de energia, o município foi o único do Brasil que não realizou eleição para prefeito e vereador no último domingo. Nesta quarta-feira, 18, o Tribunal Regional Eleitoral do Amapá decidiu que o 1º turno vai ocorrer em 6 de dezembro, e o 2º, se houver, será em 20 de dezembro.

*Com informações do repórter Afonso Marangoni