Após problemas no TSE e ataque ao STJ, Fux cobra maior segurança no Judiciário

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, afirmou na quarta-feira, 18, que a Justiça não pode fechar os olhos às inovações tecnológicas, mas admitiu que é preciso cuidado ao implementar mudanças importantes nos tribunais. Fux lembrou dos problemas recentes enfrentados pelo STJ e pelo TSE e defendeu a necessidade de uma ação conjunta para garantir maior segurança à Justiça brasileira.

Os dois casos, no entanto, foram completamente diferentes. Mas, segundo Fux, mostram que é preciso que a Justiça esteja mais preparada. No caso do STJ, um ataque de hacker teve acesso aos arquivos do Tribunal. No TSE, houve uma tentativa de derrubar o site no dia das eleições. Mas o que causou mais embaraço mesmo foi um problema em um supercomputador que acabou causando atraso na totalização dos votos e, consequentemente, o anúncio dos resultados das eleições.

O presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, já se desculpou e garantiu que não houve erro — apenas atraso na totalização. Mesmo assim, os problemas reforçaram questionamentos quanto a segurança do voto eletrônico. O ministro Fux avalia que esse é o preço que se paga pela inovação. O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) está trabalhando para apresentar propostas para o judiciário como um todo e que garantam uma maior segurança digital. Ontem foi a primeira reunião de um grupo de especialistas para definir esse plano de ações.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin