Apagão no Amapá: Congresso vai ouvir presidente da Aneel e TCU pede auditoria

Cerca de 80% do fornecimento de energia elétrica do Amapá foi reestabelecido, de acordo com o Ministério de Minas e Energias. Os amapaenses estão em esquema de rodízio, em que cada região recebe o serviço durante seis horas. Na live desta quarta-feira (11), o presidente Jair Bolsonaro falou sobre a situação do Estado. A comissão do Congresso Nacional que discute a situação da Covid-19 no Brasil vai ouvir na sexta-feira (13) o presidente da Aneel, André Pepitone. O tema é o apagão que, desde a semana passada, atinge 14 das 16 cidade do Amapá. A subestação atingida por um incêndio na última semana é administrada pela empresa espanhola privada Isolux, que passa por problemas financeiros.

Para o autor do requerimento de convite, senador Randolfe Rodrigues, a Aneel tem responsabilidade direta sobre o apagão. O senador Esperidião Amin disse que, para um monopólio de empresa privada funcionar, como no caso do Amapá, é preciso uma fiscalização mais rígida. Um laudo preliminar da Polícia Civil descartou que o incêndio que atingiu o transformador tenha sido causado por um raio. Segundo o documento, o sistema de para-raios do local estava intacto. A investigação continua e o Tribunal de Contas da União aprovou uma auditoria para apurar as possíveis omissões e irregularidades no episódio. O presidente do TCU, José Mucio Monteiro, lembrou que um dos três transformadores estava em manutenção desde dezembro de 2019.

*Com informações do repórter Levy Guimarães