Mercado opera instável em compasso da apuração nos EUA; dólar recua para R$ 5,70

O mercado financeiro opera de forma volátil nesta quinta-feira, 4, no compasso da apuração das urnas nos Estados Unidos. O dólar abriu instável, e próximo das 11h45 era cotado a R$ 5,716, com recuo de 0,78%. Na máxima do dia, a divisa norte-americana bateu R$ 5,764. Na véspera, também influenciado pelas incertezas na disputa entre Donald Trump e Joe Biden, o dólar fechou com alta de 0,41%, a R$ 5,761. O Ibovespa, o principal índice da bolsa de valores brasileira, mantém viés de alta e avançava 0,70%, aos 96.675 pontos. Na última semana, a moeda norte-americana chegou a bater R$ 5,806, em meio à instabilidade do pleito nos EUA e o avanço da segunda onda do novo coronavírus na Europa.

Desde ontem, os investidores deixaram o temor com a disseminação da Covid-19 para focar as atenções na decisão do comando da principal economia do mundo. Até o fim desta manhã, o democrata Joe Biden mantinha a liderança nas apurações. Trump, porém, chegou a se autodeclarar vencedor da disputa e afirmou que irá à Suprema Corte para garantir a sua continuidade à frente da Casa Branca. Sete estados ainda estão com resultados indefinidos. O republicano apresentava vantagem com pequenas margens de diferença em cinco destas localidades: Alasca, Carolina do Norte, Geórgia, Michigan e Pensilvânia. Já Biden lidera a apuração dos votos em Nevada e Wisconsin, ainda que a margem para o seu concorrente seja muito pequena para cravar qualquer resultado.

Até o momento, as projeções feitas pela mídia norte-americana indicam que Biden está com um total de 238 pontos no Colégio Eleitoral, sendo que ele precisa de mais 32 votos para vencer. O ex-vice-presidente de Barack Obama já é considerado vitorioso no Arizona (11), Califórnia (55), Colorado (9), Connecticut (7), Delaware (3), Distrito de Colúmbia (3), Havaí (4), Illinois (20), Maine (4), Maryland (10), Massachussetts (11), Minnesota (10), New Hampshire (4), Nova Jersey (14), Novo México (5), Oregon (7), Rhode Island (4), Vermont (3), Virgínia (13) e Washington (12).

O presidente, por outro lado, estaria com 213 pontos no Colégio Eleitoral, faltando assim 57 para a sua reeleição. As projeções indicam a preferência por Trump no Alabama (9), Arkansas (6), Carolina do Sul (9), Dakota do Norte (3), Dakota do Sul (3), Flórida (29), Idaho (4), Indiana (11), Iowa (6), Kansas (6), Kentucky (8), Louisiana (8), Mississipi (6), Missouri (10), Montana (3), Nebraska (5), Ohio (18), Oklahoma (7), Tennessee (11), Texas (38), Utah (6), Virgínia Ocidental (5) e Wyoming (3). Acompanhe a apuração das eleições dos Estados Unidos ao vivo aqui.