Às vésperas das eleições, ONG simula votação nas escolas para ensinar sobre cidadania

Ensinar: essa é a missão de jovens que, através de atividades lúdicas, levam conhecimento para alunos da rede pública de São Paulo. As escolas indicam os conteúdos que as crianças apresentam maior dificuldade e, com o tema em mãos, a equipe desenvolve as atividades e organiza as reuniões online. Segundo Maria Patrícia Madeira, diretora de uma escola atendida pelo projeto, as vésperas das eleições municipais, o tema escolhido não poderia ser outro: cidadania. E, no final do encontro, uma eleição é simulada entre as crianças — que escolhem seu voto a partir das propostas de dois candidatos bem diferentes.

Os políticos são personagens fictícios. O Thiago apresentou como proposta a distribuição sem limites de chocolates para toda a população. A candidata Liz traz propostas mais realistas e sociais, envolvendo a construção de um centro de resgate para animais abandonados. A ideia é fazer a turma refletir nas ideias apresentadas para que os alunos aprendam a votar com mais consciência. É o que relata Olga Rodrigues, educadora do projeto.

“Fazer uma proposta bem realista e a outra bem fictícia. Para o Thiago tivemos 11 pontos, para a Liz foram 89.” A Samara Campos, aluna do 5º ano, não teve dúvidas ao escolher a candidata Liz. Outros temas também foram discutidos durante a atividade. Entre eles está o destino dos votos brancos e nulos no sistema eleitoral brasileiro. Segundo a professora Isabel Cristina, esse tipo de aprendizado é importante não apenas para o aluno, mas também para a família de cada participante.

*Com informações da repórter Caterina Achutti