Governo de SP abre mais 6 centros de pesquisa para testar CoronaVac

O governo do Estado de São Paulo anunciou, nesta sexta-feira (23), que vai abrir mais seis centros de pesquisa para testar a CoronaVac, potencial vacina do Instituto Butantan com o laboratório chinês Sinovac, sob supervisão do Instituto Emílio Ribas. Hoje, os testes já acontecem em 16 centros de pesquisa em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul, além do Distrito Federal.

Apenas na cidade de São Caetano do Sul, no ABC Paulista, que já tem um centro em funcionamento, serão mais dois locais de testagem. De acordo com o governador João Doria, o objetivo é atingir os 13 mil voluntários o mais breve possível para finalizar os estudos — até o momento já foram 9.039. Para que isso aconteça, pelo menos 61 voluntários devem testar positivo para a Covid-19. As novas instalações ficarão em hospitais na periferia, onde a taxa de contaminação é maior do que nos centros.

As instituições que já testavam em São Paulo, são: Centro de Pesquisas Clínicas do Instituto Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein, Instituto de Infectologia Emílio Ribas, Medicina da Universidade Municipal de São Caetano do Sul, Hospital das Clinica da Unicamp, Faculdade de Medicina de Rio Preto e Centro de Saúde Escola da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP. O último centro do Estado fica em Barretos.

Fora de São Paulo, estão: o Núcleo de Medicina Tropical da UNB (Brasília), Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas – Fiocruz (Rio de Janeiro), Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Fármacos da UFMG (Minas Gerais), Hospital São Lucas da PUC-RS (Rio Grande do Sul) e Hospital das Clínicas da UFPR (Paraná). Outros três centros ficam em Campo Grande (MS), Cuiabá (MT) e Pelotas (RS).