Após reunião entre Guedes e Salles, Ibama determina volta dos brigadistas às atividades

Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) determinou nesta sexta-feira, 23, a volta da Brigada de Incêndio Florestal às atividades e operações. Alegando falta de recursos, o instituto decretou, na quarta-feira, 21, o recolhimento de toda os agentes para as bases de origem, a partir da zero hora da quinta-feira, 22. Em nota enviada à Jovem Pan ontem, a autarquia informou que passa por dificuldades quanto à liberação financeira por parte da Secretaria do Tesouro Nacional desde setembro. Segundo a assessoria, o Ibama já contabiliza 19 milhões de pagamentos atrasados. Por conta da repercussão, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o vice-presidente Hamilton Mourão se reuniram nesta manhã para discutir o orçamento da pasta. O próprio Ministério do Meio Ambiente, devidamente autorizado pela Economia, de acordo com o Ibama, remanejou cerca 16 milhões de reais em recursos para que os 1.400 agentes voltassem à ativa. O decreto de volta também ocorre pela perspectiva de liberação de mais 60 milhões de reais em recursos por parte do Ministério da Economia. O ofício, assim como o de quarta-feira, foi assinado pelo chefe do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo), Ricardo Vianna Barreto.